Método de circulação directa (lamas)

Utilizado para perfurar rochas macias, areia, argilas e outras formações não compactas.

Método de perfuração por rotação, onde o fluído de circulação é constituído por lamas ou polímero e são conduzidas através do interior das varas até ao fundo do furo, sendo depois bombeadas pelo espaço compreendido entre a parede exterior da tubagem e as paredes da sondagem. O fluído de circulação é responsável pela limpeza e subida dos detritos, circulando com uma velocidade ascensional, para permitir uma perfuração isenta de anomalias.

Para a circulação da lama é necessária a abertura de um tanque para as lamas.

Circulação directa

Vantagens

  • Avanços rápidos e menor risco de abatimento
  • Excelente controlo da lama bentonítica e da sua viscosidade e peso
  • Melhor qualidade de execução, que a rotary circulação inversa.

Desvantagens

  • Maiores custos; de execução, de perfuração, do fluído de sondagem, no alargamento, limpeza e desenvolvimento, do que no método de perfuração a rotary ar comprimido.